quarta-feira, 18 de novembro de 2009





comprar e vender

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

ser vegetariano


Ser Vegetariano ...

É ser mais humano e perceber a vida por uma perspectiva evolutiva e até espiritual.

E sentir-se terrestre como a árvore que doa seus frutos

Sentir-se extraterrestre, como o Sol que doa sua luz

Ser vegetariano é sorrir para a vida

Alegrar-se com pequenas e simples coisas

E olhar os animais com carinho e com respeito

É ouvir a voz dos que não falam

É pensar por aqueles que não podem dizer o que pensam.

Ser vegetariano é questionar os padrões antigos e errados

e aventurar-se no novo com coragem.

Ser vegetariano é ser parte da humanidade do futuro

é ver e voar mais alto

É amar a VIDA e viver!

Seja Vegetariano!

domingo, 20 de setembro de 2009

A primavera (Cecilia Meireles )






Primavera

Cecília Meireles


A primavera chegará, mesmo que ninguém mais saiba seu nome, nem acredite no calendário, nem possua jardim para recebê-la. A inclinação do sol vai marcando outras sombras; e os habitantes da mata, essas criaturas naturais que ainda circulam pelo ar e pelo chão, começam a preparar sua vida para a primavera que chega.

Finos clarins que não ouvimos devem soar por dentro da terra, nesse mundo confidencial das raízes, — e arautos sutis acordarão as cores e os perfumes e a alegria de nascer, no espírito das flores.

Há bosques de rododendros que eram verdes e já estão todos cor-de-rosa, como os palácios de Jeipur. Vozes novas de passarinhos começam a ensaiar as árias tradicionais de sua nação. Pequenas borboletas brancas e amarelas apressam-se pelos ares, — e certamente conversam: mas tão baixinho que não se entende.

Oh! Primaveras distantes, depois do branco e deserto inverno, quando as amendoeiras inauguram suas flores, alegremente, e todos os olhos procuram pelo céu o primeiro raio de sol.

Esta é uma primavera diferente, com as matas intactas, as árvores cobertas de folhas, — e só os poetas, entre os humanos, sabem que uma Deusa chega, coroada de flores, com vestidos bordados de flores, com os braços carregados de flores, e vem dançar neste mundo cálido, de incessante luz.

Mas é certo que a primavera chega. É certo que a vida não se esquece, e a terra maternalmente se enfeita para as festas da sua perpetuação.

Algum dia, talvez, nada mais vai ser assim. Algum dia, talvez, os homens terão a primavera que desejarem, no momento que quiserem, independentes deste ritmo, desta ordem, deste movimento do céu. E os pássaros serão outros, com outros cantos e outros hábitos, — e os ouvidos que por acaso os ouvirem não terão nada mais com tudo aquilo que, outrora se entendeu e amou.

Enquanto há primavera, esta primavera natural, prestemos atenção ao sussurro dos passarinhos novos, que dão beijinhos para o ar azul. Escutemos estas vozes que andam nas árvores, caminhemos por estas estradas que ainda conservam seus sentimentos antigos: lentamente estão sendo tecidos os manacás roxos e brancos; e a eufórbia se vai tornando pulquérrima, em cada coroa vermelha que desdobra. Os casulos brancos das gardênias ainda estão sendo enrolados em redor do perfume. E flores agrestes acordam com suas roupas de chita multicor.

Tudo isto para brilhar um instante, apenas, para ser lançado ao vento, — por fidelidade à obscura semente, ao que vem, na rotação da eternidade. Saudemos a primavera, dona da vida — e efêmera.


Texto extraído do livro "Cecília Meireles - Obra em Prosa - Volume 1", Editora Nova Fronteira - Rio de Janeiro, 1998, pág. 366.

Saiba tudo sobre a vida e a obra de Cecília Meireles visitando "Biografias


A primavera e a estaçao dos apaixonados por flores e estaçao onde a vida recomeça de pois de um intenso tempo de escuridao ,decinza ,,,e quando a vida recomeça ,,,dando cores e alegrias ,a todos q saibam adimirar esssa fantastica estaçao ,feliz primavera e uma vida mais feliz e colorida ,,,Bno arley

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

crianças indigos


O que é uma Criança Índigo?
Novas Crianças - Novos Homens


Uma Criança Índigo é aquela que apresenta um novo e incomum conjunto de atributos psicológicos e mostra um padrão de comportamento geralmente não documentado ainda. Este padrão tem fatores comuns e únicos que sugerem que aqueles que interagem com elas (pais em particular) mudam seu tratamento e orientação com objetivo de obter o equilíbrio. Ignorar esses novos padrões é potencialmente criar desequilíbrio e frustração na mente desta preciosa nova vida.

Existem vários tipos de Índigos, mas na lista a seguir nós podemos dar alguns dos padrões de comportamento mais comuns:

Elas vêm ao mundo com um sentimento de realeza e freqüentemente agem desta forma.

Elas têm um sentimento de "desejar estar aqui" e ficam surpresas quando os outros não compartilham isso.

Auto-valorização não é uma grande característica. Elas freqüentemente contam aos pais quem elas são.

Elas têm dificuldades com autoridade absoluta sem explicações e escolha.

Elas simplesmente não farão certas coisas; por exemplo, esperarem quietas é difícil para elas.

Elas se tornam frustradas com sistemas ritualmente orientados e que não necessitam de pensamento criativo.

Elas freqüentemente encontram uma melhor maneira de fazer as coisas, tanto em casa como na escola, o que as fazem parecer como questionadores de sistema (inconformistas com qualquer sistema).

Elas parecem anti-sociais a menos que estejam com outras do mesmo tipo. Se não existem outras crianças com o nível de consciência semelhante em volta, elas freqüentemente se tornam introvertidas, sentindo-se como se ninguém as entendesse. A escola é freqüentemente difícil para elas do ponto de vista social.

Elas não responderão à pressão por culpa do tipo: "Espere até seu pai chegar e descobrir o que você fez".

Elas não são tímidas em fazer você perceber o que elas precisam.

Tipos de Crianças Índigo

Existem quatro tipos diferentes de Índigos e cada um tem uma proposta:

Humanista: Primeiro, existe o Índigo Humanista que vai trabalhar com as massas. Eles serão os futuros doutores, advogados, professores, vendedores, executivos e políticos. Vão servir as massas e são hiperativos. São extremamente sociais. Conversam com todo mundo e fazem amizade facilmente. São desastrados do ponto de vista motor e hiperativo, como dito anteriormente, e de vez em quando, eles vão dar com a cara nos muros, pois esquecem de pisar no freio. Eles não sabem brincar com apenas um brinquedo. Ao invés disso, trazem todos para fora e os espalham. Às vezes, não tocam na maioria destes. São do tipo que têm que ser permanentemente lembrados pois freqüentemente se esquecem das ordens simples e se distraem. Por exemplo, você pede para eles arrumarem o quarto. Eles começam a arrumar e de repente encontram um livro e começam a ler porque são leitores ferozes. Certa vez, eu estava em um vôo onde estava uma criança de cerca de 3 anos que estava aprontando. Sua mãe deu-lhe o panfleto de segurança do avião e ele o abriu todo com todas as figuras. Ele permaneceu sentado, muito sério como se estivesse lendo, muito sério e intenso na concentração. Ele estudou o folheto por uns cinco minutos e eu sabia que ele não poderia ler mas ele pensava que ele estava. Este é o típico Índigo Humanista.

Conceitual: Os Índigos Conceituais estão mais para projetos do que para pessoas. Serão os futuros engenheiros, arquitetos, projetistas, astronautas, pilotos e oficiais militares. Eles não são desajeitados, ao contrário, são bem atléticos como crianças. Eles têm um ar de controle e a pessoa que eles tentam controlar na maioria das vezes é a mãe se são meninos. As meninas tentam controlar os pais. Se eles são impedidos de fazer isso, existe um grande problema. Este tipo de Índigo tem tendência para outras inclinações, especialmente as drogas na puberdade. Os pais precisam observar bem o padrão de comportamento dessas crianças quando elas começarem a esconder ou a dizer coisas tais como, "Não chegue perto do meu quarto": é exatamente quando os pais precisam se aproximar mais.

Artista: Este tipo de Índigo é muito mais sensível e freqüentemente menor em tamanho, embora isso não seja uma regra geral. Eles são mais fortemente ligados às artes. Eles são criativos e serão os futuros professores e artistas. Em qualquer campo que eles se dediquem será sempre pelo lado criativo. Se eles entrarem na medicina, eles se tornarão cirurgiões ou pesquisadores. Quando eles entrarem nas artes, eles serão o ator dos atores. Entre 4 a 10 anos eles podem pegar até 15 diferentes artes criativas - fazer uma por cinco minutos e encostar. Portanto, se diz às mães de artistas e músicos, "Não compre instrumentos, mas alugue". O Índigo Artista pode trabalhar com até 5 instrumentos diferentes e então, quando eles entrarem na puberdade, escolherão um campo e se empenharão para se tornarem artistas nessa especialização.

Interdimensional: O Índigo Interdimensional é muito maior do que os demais Índigos, do ponto de vista de estatura. Entre 1 e 2 anos de idade você não pode dizer nada para eles. Eles dizem: "Eu já sei. Eu posso fazer isso. Deixe-me sozinho". Eles serão os que trarão novas filosofias e espiritualidade para o mundo. Podem ser mais valentões porque são muito maiores e também porque não se encaixam no padrão dos outros três tipos.

Dicas para reconhecer os Índigos


Os autores listam as seguintes características para ajudar a identificar se sua criança é um Índigo:

Tem alta sensibilidade

Tem excessivo montante de energia

Distrai-se facilmente ou tem baixo poder de concentração

Requer emocionalmente estabilidade e segurança de adultos em volta dela

Resiste à autoridade se não for democraticamente orientada

Possui maneiras preferenciais no aprendizado, particularmente na leitura e matemática

Podem se tornar frustrados facilmente porque têm grandes idéias, mas uma falta de recursos ou pessoas para assistirem pode comprometer o objetivo final

Aprendem através do nível de explicação, resistindo à memorização mecânica ou serem simplesmente ouvintes.

Não conseguem ficar quietas ou sentadas, a menos que estejam envolvidas em alguma coisa do seu interesse.

São muito compassivas; têm muitos medos tais como a morte e a perda dos amados

Se elas experimentarem muito cedo decepção ou falha, podem desistir e desenvolver um bloqueio permanente.

Problemas que os Índigos Podem Experimentar:


Elas demandam mais atenção e sentem que a vida é muito preciosa para deixar escapar. Elas querem que as coisas aconteçam e freqüentemente forçam situações para realizarem o desejado. Os pais facilmente caem em armadilhas de fazer para a criança ao invés de desempenhar um papel na modelagem ou no compartilhamento. Uma vez que aconteça os pais serão apenas fantoches.

Estes emissários podem tornar-se emocionalmente irritados por pessoas que não entendam o fenômeno Índigo. Eles não podem compreender porque as pessoas operam em modalidades não baseadas no amor. Porém, elas são extremamente resistentes e hábeis para ajudar crianças carentes, embora esta ajuda seja freqüentemente rejeitada. Quando jovens, eles podem ter problemas de ajustamento com outras crianças.

As Crianças Índigo são freqüentemente tituladas como tendo ADD (Attention Deficit Disorder) ou alguma forma de hiperatividade. Em muitos casos são tratados com química quando deveriam ser tratados de forma diferente.

O que podemos fazer?


Estas crianças estão aqui para nos ajudar na transformação do mundo. Portanto, nós precisamos aprender com elas, principalmente escutando-as e observando-as. Não obstante, estamos relacionando algumas regras básicas que precisamos observar para não tolhermos o brilho dessas crianças:

Trate os Índigos com respeito. Honre sua existência na família.

Ajude-os a criar suas próprias soluções disciplinadas.

Dê a eles escolha em tudo.

Nunca os diminua, nunca.

Sempre explique o por quê de você dar instruções. Escute essas explicações por você mesmo. Não parece estúpida a expressão "porque eu disse que deve ser assim"? Se você concorda com a estupidez de expressões assim, então reconsidere suas instruções e as mude. Eles o respeitarão por isso e esperarão. Mas se você der a eles ordens autoritárias e ditatoriais sem bondade e razões sólidas, essas crianças o derrotarão. Elas simplesmente não vão obedecer e o que é pior, elas vão dar uma lista de motivos que desclassificam suas intenções. Algumas vezes suas razões podem ser simples, como por exemplo, "porque isso vai me ajudar hoje pois estou realmente cansado". A honestidade vencerá como nunca antes. Eles vão pensar sobre isso e acatarão.

Faça deles um parceiro no relacionamento. Pense bastante sobre este aspecto.
Quando crianças, explique tudo que você estiver fazendo para eles. Eles podem não entender, no entanto, eles perceberão sua consciência e honra por eles. Esta é uma tremenda dica antes deles aprenderem a falar.

Se problemas sérios desenvolverem, teste-os antes de iniciar tratamento baseado em drogas.
Provenha segurança no seu suporte a eles. Evite crítica negativa. Sempre deixe-os saber que você os apoiará em todos os momentos. Eles crescerão de encontro com suas verbalizações e irão surpreendê-lo durante o processo. Então, celebrem juntos. Não os faça simplesmente realizar, mas permita que eles façam com encorajamento.

Não os diga quem eles são, ou o que eles vão ser no futuro. Eles sabem melhor que você. Deixe que eles decidam suas áreas de interesse. Não os force a entrar em algum ofício familiar ou em algum tipo de negócio porque isso é que a família vem desempenhando por gerações. Estas crianças absolutamente não serão seguidores.

Dicas no relacionamento com Índigos


Os Índigos são abertos e honestos, isso não é uma vulnerabilidade mas a maior força. Se você não for aberto e honesto com eles, mesmo assim eles serão com você, no entanto, eles não o respeitarão.

Marasmo pode trazer arrogância para os Índigos, portanto não os deixe cair no marasmo. Se eles agem de forma arrogante, isso significa que eles precisam de novos desafios e novos limites. Alimente seus cérebros mantendo-os ocupados da melhor forma possível.
Pais, professores e orientadores devem estar aptos para definir e manter limites claros, ainda que suficientemente flexíveis para mudar e ajustar esses limites quando necessário, baseados no crescimento emocional e mental, pois os Índigos crescem rápido. Ser firme mas justo é necessário para a segurança deles e para nossa.

A mensagem dada e transmitida pelos adultos deve ser mais prazerosa do que dolorosa, e mais baseada no amor do que no medo.

Mantenha a criança informada e envolvida.

Evite mal-entendidos simplesmente dando explicações.

Não perca a paciência com sua criança.

Evite dar ordem (verbos no imperativo). Ao invés de ordens verbais, utilize o toque para chamar a atenção deles. Eles são muito sensíveis ao tato (toque no ombro, aperto de mão, abraço, etc).

Mantenha sua palavra.

Negocie com cada situação.

Não esconda nada e não use linguagem abusiva.

Deixe sua emoção mostrar amor e não ódio.

Se uma repreensão é dada, crie situações de dar um tempo ou folga.

Discuta a situação geradora da repreensão após seu término.

Depois de tudo, sempre reúna com a criança e reveja se houve um aprendizado e crescimento após a repreensão.

Importante:

Lembre-se que punição não funcionará com essas crianças. Punição é diferente de repreensão. Punição é baseada na culpa enquanto que repreensão é baseada num crescimento ou melhoramento.

Publipt - Publicidade na Internet

domingo, 19 de julho de 2009

ceu azul



um romance espirita , muito bom , um dos melhores livros que ja li , uma historia emocionante que nos da um imenso aprendizado , sobre o mundo espiritual ,,,ai esta um breve resumo da emocionante historia ,,...

"Toda a planta que meu Pai celestial não plantou, será arrancada pela raiz" - Jesus

Do labor psicográfico florescido em abundância nos campos espíritas, tem merecido atenção os romances do jovem César Augusto Melero, através da psicografia de Célia Xavier de Camargo. Em seu primeiro livro "Céu Azul", ele nos relata os acontecimentos ligados aos seus últimos dias como encarnado, vivenciando experiência dolorosa e redentora em meses de permanência como prisioneiro da doença incurável que lhe atingiu a perna esquerda, a posterior transição para o mundo espiritual e a afetuosa receptividade e acolhimento na colônia "Céu Azul", que passou a integrar, e cuja dinâmica de trabalho passa a descrever.

Tendo ocorrido o desenlace desencarnatório em 1985, eis que, doze anos depois, aparece a primeira edição de "Céu Azul", romance que pode ser definido como o relato póstero de uma bem sucedida empreitada reencarnatória, que teve como principal aspecto em seu planejamento a redenção do personagem, com aproveitamento dos melhores. Em plena juventude prisioneiro da doença, do leito e da dor, o jovem se posiciona com firmeza e decide aproveitar o ensejo para o próprio aprofundamento no conhecimento espírita, superando dificuldades, acomodando-se na aceitação, mantendo desobstruídos os canais para a influência espiritual superior, com isso elaborando uma radical transformação interior, cuja luz transcendeu à iluminação dele próprio, estendendo-se aos familiares e amigos, por ele mesmo confortados nos cruciais momentos finais de sua jornada terrestre. E que com certeza estendeu-se também ao grupo de testemunhas invisíveis e vigilantes, amigos e desafetos desencarnados, que com ele se ligavam… Felizes nós, espíritas, que temos a incomparável oportunidade de renascer no Brasil, bafejados pelo superior conhecimento das Leis Morais da Vida, canalizado pela abençoada doutrina codificada por Allan Kardec! Que nos traz a certeza de que temos em nós mesmos o poder de transformar os aparentes espinhos de nossas existências em flores perfumadas, cujo perfume porta o maravilhoso poder de edificar, sanear, recuperar e vivificar, em nós e ao redor de nós! Convicção essa que escreveu belíssimas histórias como a de Jésus Gonçalves, de Jerônimo, o Gigante deitado, e mais recentemente, de César Augusto…

Uma vez acolhido e suficientemente adaptado na colônia "Céu Azul", o moço passa a participar da atraente dinâmica de trabalho nela realizada, descreve a integração com o Centro Espírita onde age a médium que o intermediou e a vivência dos jovens em grupos, sempre com a assistência afetuosa e esclarecedora de outros espíritos mais experientes, o amor sendo a tônica permanente das relações humanas… Interessante notar lições se somando a lições, a importância da educação continuada nas organização da colônia… E a importância da auto-análise individual, do conhece-te a ti mesmo, das reavaliações das histórias de vida, das retomadas de rumo…

Dentre as diversas formas de lições que se apresentam, mensagens trazidas de esferas mais altas acontecem … Eis que, vindo de Esferas mais Altas, o elevado espírito Urbano visita "Céu Azul", e disserta sobre a Nova Era cuja instalação já está se processando sobre a Terra… sobre as dores inevitáveis e o planejamento socorrista do Plano Espiritual a todos os sofredores… As transformações necessárias e a missão do Brasil, desfraldando a bandeira do TRABALHO, SOLIDARIEDADE E TOLERÂNCIA. Para total aproveitamento, remeto o leitor ao livro mesmo, ao capítulo 27, para colher esta água totalmente pura, diretamente da fonte... Ao fim da preleção, o orador se dispôs a dar respostas a dúvidas pertinentes ao assunto, que uma vez formuladas e respondidas , dão matéria para o capítulo 28…

Eis que, dentre perguntas as mais diversas, alguém questiona: "(…) acho justo que os povos se unam num congraçamento de apoio e assistência geral. Mas, em termos de comunicação, como se dará este intercâmbio? Através de uma outra língua, o Esperanto, por exemplo, de que temos ouvido falar?" E, mais adiante, sob motivação da lembrança do estudo do Esperanto oferecido na colônia: "(…) porque o estudo do Esperanto aqui na Espiritualidade, considerando que será mais utilizado no mundo terreno?"

Transcreverei diretamente a resposta de Urbano, procurando manter o conteúdo imaculado:

"Exatamente, meu jovem amigo, através do Esperanto, que é um idioma criado para unir os povos. Só que o Esperanto não é "mais" uma língua, é a língua do futuro (…). É aquela que irá facilitar a realização das palavras do Cristo, quando assevera que haverá "um só rebanho e um só pastor".

E em resposta à segunda questão:

"(...) ainda "do lado de cá" da vida, se formos chamados a colaborar com os demais povos do Planeta, no atendimento a irmãos nossos desencarnados em condições difíceis, para os quais o idioma ainda é um entrave à comunicação, o conhecimento do Esperanto irá facilitar o entrosamento e a assistência aos necessitados. (…) Pedidos de socorro já estão sendo feitos. Em esferas mais altas isto é uma realidade, demonstrando a necessidade de nos agilizarmos no atendimento fraterno e solidário".

Vai se tornando evidente, caros amigos, que o Esperanto é empreendimento que se realiza paralelamente nos dois planos da vida, é árvore que lança seus ramos na terra material mas que tem suas raízes fortemente enraizadas no mundo espiritual... E cujos frutos alimentará a nossa fome de Paz, de Harmonia, de Congraçamento Universal, de Amor Incondicional…

De livro em livro, de mensagem em mensagem, prezados amigos, vai se sedimentando mais e mais a certeza de que esta árvore, verdadeiramente, o Pai plantou…

Que adubá-la e regá-la com o nosso trabalho humilde, pacífico, despretensioso, firme e fiel seja a parte que nos cabe nessa edificação de um mundo melhor…

sexta-feira, 26 de junho de 2009

a caminho da paz vegetarianismo por um mundo melhor ....




CAMINHO DA PAZ
VEGETARIANISMO – A CAMINHO DA PAZ

Não há como defender a paz sem ser paz.
Muitas pessoas falam sobre paz, mas será que elas são paz? alcançaram este objetivo interior?
A paz é um estado de magnitude de seu interior com o exterior, é uma junção integrada sem limites, sem imposições, é o estado puro da vida.
Quando se deixa de lado os outros e passa a observar a si, não há mais desperdício de energia, se sai da roda do dar e receber, se vivo à verdade, eu sou.
Quando se cria consciência apenas de unidade, individualidade, se manifesta um forte respeito à vida, respeito a tudo e a todos, pois o lar vira o próprio universo, não há divisões.
Existe muitos idealistas falando sobre paz, mas se são carnívoros, são apenas idealistas, não se entendeu sobre a vida.
Não há como ser vida e alimentar-se da dor da morte.
Um alface não quer ser comido, tem suas próprias defesas naturais, mas tem um, porém, comparando com os animais, ele não sente que esta sendo mastigado, o grau de consciência dos vegetais é de um com o todo, e não de unidade.
Eles não sofrem por morrer, aliais em grande maioria comemos eles vivos, a vida se mantém presente ate quase o ponto de sua preparação.
Os animais que possuem consciência de sua presença sofrem ao perderem a mesma.
Essa dor, esses maus tratos são absorvidos pelo nosso corpo, a dor da própria morte é ingerida.
Não pense você que não tem nada haver, tudo tem haver, você é um ser inteiro, seus pensamentos não estão divididos de seu corpo, nem tão pouco, seu temperamento de sua alimentação.
Essa dor alimenta o instinto de matar no ser humano, e não me fale que você não tem se és carnívoro que eu afirmarei que você não se conhece.
O recado é, não há paz se alimentar-se da dor de outro ser.
É uma hipocrisia falar de paz quem não mantém em si consciência de autopreservação, e esta so é alcançada respeitando a própria autopreservação de vida.
Com certeza não será paz plena, mas esta a caminho dela.

Rafael Batista Monteiro

domingo, 21 de junho de 2009

meditaçao




Meditação - o que é

E benefícios da prática

A meditação consiste de práticas diárias envolvendo essencialmente concentração da atenção. Embora apareça com uma aura mística, sua prática regular proporciona vários benefícios e aperfeiçoamentos práticos, como (experiência própria):

- descanso físico, mental e emocional

- aumento da capacidade de concentração

- maior auto-liderança

- maior liberdade de escolha

- senso de identidade mais livre e mais rico em possibilidades.

Segundo Lia Diskin, em entrevista à revista SuperInteressante em março de 2001, os benefícios da prática da meditação para a saúde, a inteligência e o equilíbrio psíquico são:

"A meditação reduz a ansiedade, torna a respiração equilibrada e profunda e melhora a oxigenação e a freqüência cardíaca. Seu reflexo no sono é um repouso mais tranqüilo, sem interrupções. Além disso, ela atenua enxaquecas e resfriados, acelera a recuperação no pós-operatório e auxilia a digestão alimentar. No campo psíquico, a prática mantém a pessoa num relativo estado de equilíbrio, com uma lucidez que a impede de entrar em conflitos emocionais internos, principalmente de origem afetiva. Há, por parte de quem a pratica, muito mais clareza mental, objetividade, paciência, compreensão e justiça."

A meditação em geral pode envolver sons, mas não linguagem falada ou pensada, ao contrário, um dos objetivos é justamente ativar um nível de não-pensamento lingüístico, que embora seja útil em algumas situações, não o é em outras.


Meditação: usando a mente para alcançar o relaxamento
As técnicas de meditação são praticadas há milhares de anos. O objetivo inicial era ajudar as pessoas a aprofundar seu conhecimento das forças sagradas e místicas da vida. Para muitas, a meditação continua sendo uma prática espiritual e religiosa - as variações da prática de meditação estão presentes em todas as religiões do mundo - mas para um crescente número de pessoas a meditação serve para limpar a mente e focar no momento.

Como você medita e onde você encontra inspiração para acalmar sua mente?

Siga estes passos para explorar os diferentes tipos de meditação....

O QUE É MEDITAÇÃO?

A meditação é uma prática da Medicina Complementar e Alternativa que se encaixa na categoria de Técnicas do Corpo e da Mente. Estes tipos de terapia reforçam a comunicação entre corpo e mente.

Outros tipos de técnicas incluem Grupos de Apoio, Hipnose, Biofeedback, e saídas criativas como Arteterapia, Musicoterapia e Terapia de Dança.

Há diferentes caminhos à meditação. Geralmente, quando você está meditando, está concentrado. O foco da sua concentração pode ser qualquer coisa – um objeto, um som ou mesmo sua própria respiração. A meta da meditação é o foco naquele momento, tirando as preocupações da mente.

PARA QUE SERVE A MEDITAÇÃO?

A meditação não é usada no lugar de terapias tradicionais, como os medicamentos que o médico prescreve. Ao contrário, deve-se utilizá-la como complemento de outros tratamentos. A meditação também pode ser usada por pessoas com perfeita saúde, como um meio de reduzir o estresse.

As pesquisas médicas sobre meditação são limitadas e se questiona a validade de alguns estudos. Algumas pesquisas mostram que a meditação pode ser benéfica para certas condições se usadas junto a medicamentos ou outras intervenções recomendadas pelo médico, como ansiedade, depressão, estresse, pressão alta ou doenças cardíacas.

Como a meditação pode aliviar o estresse, também pode ser útil se você se encontra em alguma situação estressante, já que pode reduzir os efeitos relacionados ao estresse como alergias, asma, dores crônicas e artrite, entre outras.

PRINCIPAIS TÉCNICAS DE MEDITAÇÃO

Meditação por concentração

Acalme a mente. A meditação por concentração foca um único objeto, que pode ser a respiração, uma imagem visualizada mentalmente ou uma imagem real, como a chama de uma vela ou um ícone sagrado. Um dos propósitos da meditação por concentração é ajudar a se concentrar. Se você tem muitas coisas na cabeça e acha que terá dificuldade em se concentrar nas suas atividades diárias, dê um tempo para meditar e volte aos seus projetos renovado.

Respire profundamente

Se você é um iniciante, comece com esta técnica, pois respirar é uma função natural que você não tem que aprender conscientemente. Simplesmente preste atenção à sua respiração – como se sente quando o ar entra ou sai das suas narinas. Não a siga até os pulmões. Quando perceber que sua atenção está se desviando, volte o foco para sua respiração, suavemente.

Examine seu corpo

Ao usar esta técnica, coloque sua atenção nas sensações como dor, tensão, calor ou relaxamento em diferentes partes do corpo. Combine a análise do corpo com exercícios de respiração e imagine o calor da respiração ou o relaxamento entrando e saindo de diferentes partes do corpo.

Repita um nome ou frase sagrada

Um mantra é o nome de uma divindade ou uma frase sagrada que você repete em silêncio ou em voz alta. Se quiser, pode criar seu próprio mantra. Os mantras são os blocos de construção da meditação transcendental. Alguns exemplos de mantras religiosos incluem uma oração para Jesus - na tradição Católica -o nome sagrado de Deus no Judaísmo ou o mantra "Om" no Budismo Tibetano.

Exercite sua imaginação

Uma prática relacionada é o imaginário guiado, em que a voz de alguém, gravada ou não, conduz você num exercício de visualização. Uma vez que se tenha alcançado um estado de relaxamento profundo, a maioria por meio da meditação, cria-se uma imagem visual do que a pessoa que está fazendo o exercício sugerir. Talvez um lugar calmo, como um jardim, onde você se sinta calmo e seguro.

quinta-feira, 11 de junho de 2009

Profecia Celestina


Este é um romance movimentado e repleto de ação, onde o leitor é convidado a participar de uma saga em busca da verdade espiritual. Um antigo manuscrito é encontrado nas florestas peruanas, contendo nove visões que a raça humana precisa conhecer para alcançar a sabedoria no próximo milênio. A cada capítulo, o leitor se informa sobre cada uma destas visões, acompanhando a aventura de um homem até o alto das montanhas dos Andes, ou às ruínas de velhas florestas. As previsões reveladas tornam-se mais interessantes ainda na medida em que podem ser associadas aos fatos mais importantes do nosso século, e também aos relacionamentos íntimos do dia-a-dia. A sabedoria espiritual aplicada no cotidiano é uma forma de aproximação a uma nova e emocionante imagem da vida humana


“Na primeira visão temos a consciência de que não há coincidências. Somos chamados a prestar atenção a tudo o que acontece, todas as sincronicidades. Quantas vezes já não exclamamos: “Que coincidência!” ? É como se estivéssemos em determinada sintonia e, nela, ouvíssemos tudo o que estivesse tocando. Não necessariamente com os ouvidos. Parece que quanto mais tempo sintonizados, mais forte é a música que escutamos, mais freqüentes se tornam as sincronicidades.

“Ao nos conscientizarmos da coincidência estamos nos sintonizando com o mistério do princípio fundamental da ordem no universo”

“A segunda visão é como que um prolongamento da primeira. Observamo-nos dentro de um contexto histórico, as coincidências querem nos mostrar algo.

“A Segunda visão é a consciência de que nossa percepção das misteriosas coincidências da vida é uma ocorrência histórica significativa”

O Universo é pura energia. A Terceira Visão nos passa a idéia de que tudo é energia e nós somos co-criadores, mediante nossos pensamentos, dessa energia. Ensina que, ao admirarmos a beleza, seja na natureza ou pessoas, ao nos esforçamos para ver o belo em tudo, elevamos nossa energia, como se a consciência da energia a fizesse aumentar.

“Quando nos transferimos para uma vibração mais alta, as mensagens tendem a chegar mais rapidamente. Quando usamos nossos dons e habilidades com a intenção correta, as coisas vêm até nós”

“A Quarta Visão trata da competição que há entre nós, pela energia, mesmo inconscientemente. “A Quarta Visão é a consciência de que os seres humanos, com freqüência, rompem sua ligação interior com essa energia mística. Em decorrência disto, temos tido a tendência de nos sentirmos fracos e inseguros, e com freqüência procuramos nos reerguer sugando a energia de outros seres humanos”.

“A Quinta Visão é a experiência da ligação interior com a energia divina, e como ela expande nossa perspectiva de vida”

“A Sexta Visão retrata os dramas de controle, ou seja, as artimanhas que podem ser usadas para adquirir energia de outrem. Há o intimidador, o distante, o interrogador e o coitadinho de mim (vítima). São posturas adotadas pelas pessoas, predominando, geralmente, uma dessas sobre as demais. Esses dramas de controle se baseiam no medo – que é energia negativa – e, quando nos conscientizamos do nosso, temos a chance de transformá-lo, combatê-lo, fortalecendo a nossa ligação com a energia interior.

“A Sétima Visão é a conscientização de que as coincidências têm nos conduzido o tempo todo à realização da nossa missão e à busca da nossa questão vital básica”. Devemos entrar na corrente, fazendo o que gostamos, seguindo a intuição.

“A Oitava Visão é a consciência de que a maior parte das sincronicidades tem lugar através das mensagens que nos são trazidas por outras pessoas e que uma nova ética espiritual com relação ao semelhante estimula essa sincronicidade”.

“A Nona Visão é a consciência de como a evolução se dará se vivermos as outras visões. (…) À medida que a evolução prosseguir, o crescimento sincronístico elevará nossas vibrações ao ponto em que penetraremos na dimensão da vida após a morte, fundindo essa dimensão com a nossa e encerrando o ciclo nascimento/morte”.

domingo, 7 de junho de 2009

violetas na janela


O espírito de Patrícia narra em detalhes tudo o que encontrou depois de ter feito a grende passagem. Patrícia faleceu muito jovem de um aneurisma cerebral, subitamente. Após a passagem ela narra o que viu sobre as colônias, os meios de transporte, o encontro com familiares, o aprendizado, os desafios do espírito para se libertar das influências da terra, etc.
É um livro muito bom para os iniciantes do espiritismo, e ao mesmo tempo é um livro de auto-ajuda para aqueles que perderam um membro da família ou pessoa querida.
Patrícia evolui no mundo espiritual e foi autorizada a escrever este livro para abrir as mentes e consolar os corações das pessoas aflitas. O trecho mais emocionante é quando sua mãe, ainda encarnada, oferece à ela um vaso de violetas e o põe na janela do quarto de Patrícia e ela o recebe quase que instantâneamente.
Patrícia relata grande parte do seu aprendizado espiritual, inclusive sobre suas visitas à Terra, quando vem de aerobus(o meio de transporte), também nos conta sobre suas aulas de levitação, e fala também sobre o umbral, local onde os espíritos sofredores se encontram.

um livro muito bom nos inspria ccom coisas boas ,, que como nos devemos dar valor a vida aprender apreciar o bel aprender a viver melhor trilhnado no caminho do bem um livro encantador ,, e nos enche de alegria e vontade de cada vez ler mais ..

domingo, 31 de maio de 2009

O Velho Sabio



O Velho Sábio sempre saia da ermida bem cedo, antes de sair o Sol.

O Seu velho corpo não pedia para ele muito descanso, e seguia cheio de Vitalidade. Somente dormia quatro ou cinco horas,

Despertava cheio de energia e saia a varrer o pátio da frente da ermida, para que os Religiosos Encontrassem um lugar limpo e ordenado em que pudessem ordenar pacificamente sua alma.

Porém o primeiro caminhante que passava diante do seu lugar de paz não era um seguidor seu. Fazia vários meses que Gr'anSan vinha observando a esse Jovenzinho.

Antes acostumava jogar com os garotos da sua idade, mas desde uns meses o seu comportamento havia mudado muito... e isso chamava a Atenção do Velho Sábio.

O que mais o estranhava, não era que ele já não se relacionava com Crianças da sua Idade, e sim que somente caminhasse acompanhado com homens muito mais velhos que ele.

O que mais estranhava o Ancião clérigo neste comportamento era a brusca mudança que havia sofrido o seu Espírito. Gr'anSan calculava que nesses últimos meses, o jovem Kan, havia amadurecido o equivalente a 15 anos. E isso sim chamava a sua atenção.

O Velho Sábio colocou a Vassoura contra uma das Paredes de Pedra que formavam sua velha ermida, e levantou a Mão para chamar a atenção do Jovem Samurai.

Jovem! - gritou a Kan - Onde Você vai tão cedo? A essas horas somente os demônios e os santos andam pela rua.

Os primeiros voltavam às entranhas da Terra para se protegerem do Sol abrasador e, os segundos descem do céu para proteger os Homens das calamidades e do Mal.

quarta-feira, 27 de maio de 2009



ANTOINE DE SAINT- EXUPÉRY (uma breve biografia de um dos maiores escritores q o mundo ja viu

uma breve biografia de um dos escritores q mais encantam o mundo ate hj com sua sensibilidade e muita imaginalçao engrandecendo nossos coraçoes com muita paz e alegria ,,,,e por fim fazendo nos sentir maravilhados fazer nos viajar pelo mundo encantado,,,, ai esta pra vcs um pouco de esse grande homem
dedico esse texto a uma grande amiga , ( GÊ )


Antoine-Jean-Baptiste-Marie-Roger Foscolombe de Saint-Exupéry filho do conde e condessa de Foscolombe (29 de junho de 1900, Lyon - 31 de julho de 1944, Mar Mediterrâneo) foi um escritor, ilustrador e piloto da Segunda Guerra Mundial.

Faleceu durante uma missão de reconhecimento sobre Grenoble e Annecy. Em 3 de novembro, em homenagem póstuma, recebeu as maiores honras do exército. Em 2004, os destroços do avião que pilotava foram achados a poucos quilômetros da costa de Marselha. Seu corpo jamais foi encontrado.

Suas obras foram caracterizadas por alguns elementos em comum, como a aviação, a guerra. Também escreveu artigos para várias revistas e jornais da França e outros países, sobre muitos assuntos, como a guerra civil espanhola e a ocupação alemã da França.

No entanto, deve-se dar uma atenção a este último, O pequeno príncipe (O Principezinho, em Portugal) (1943), romance de maior sucesso de Saint-Exupéry. Foi escrito durante o exílio nos Estados Unidos, quando fez visitas ao Recife. E para muitos era difícil imaginar que um livro assim pudesse ter sido escrito por um homem como ele.

O pequeno príncipe é uma obra aparentemente simples, mas, apenas aparentemente. É profunda e contém todo o pensamento e a "filosofia" de Saint-Exupéry. Apresenta personagens plenos de simbolismos: o rei, o contador, o geômetra, a raposa, a rosa, o adulto solitário e a serpente, entre outros. O pequeno príncipe vivia sozinho num planeta do tamanho de uma casa que tinha três vulcões, dois ativos e um extinto. Tinha também uma flor, uma formosa flor de grande beleza e igual orgulho. Foi o orgulho da rosa que arruinou a tranqüilidade do mundo do pequeno príncipe e o levou a começar uma viagem que o trouxe finalmente à Terra, onde encontrou diversos personagens a partir dos quais conseguiu descobrir o segredo do que é realmente importante na vida.

É uma obra que nos mostra uma profunda mudança de valores, que ensina como nos equivocamos na avaliação das coisas e das pessoas que nos rodeiam e como esses julgamentos nos levam à solidão. Nós nos entregamos a nossas preocupações diárias, nos tornamos adultos de forma definitiva e esquecemos a criança que fomos.

Principais Obras
O aviador (1926);
Correio do Sul (1928);
Vôo Noturno (1931);
Terra de Homens (1939);
Piloto de Guerra (1942);
O Pequeno Príncipe (br) - O Principezinho (pt) (1943).
Cidadela (1948)-
Cartas ao Pequeno Príncipe


(Fonte Wikipédia)



O Pequeno Príncipe - Antoine de Saint-Exupéry



O Pequeno Príncipe foi escrito e ilustrado por Antoine de Saint-Exupéry um ano antes de sua morte, em 1944. Piloto de avião durante a Segunda Grande Guerra, o autor se fez o narrador da história, que começa com uma aventura vivida no deserto depois de uma pane no meio do Saara. Certa manhã, é acordado pelo Pequeno Príncipe, que lhe pede: "Desenha-me um carneiro"? É aí que começa o relato das fantasias de uma criança como as outras, que questiona as coisas mais simples da vida com pureza e ingenuidade. O principezinho havia deixado seu pequeno planeta, onde vivia apenas com uma rosa vaidosa e orgulhosa. Em suas andanças pela Galáxia, conheceu uma série de personagens inusitados – talvez não tão inusitados para as crianças!

Um rei pensava que todos eram seus súditos, apesar de não haver ninguém por perto. Um homem de negócios se dizia muito sério e ocupado, mas não tinha tempo para sonhar. Um bêbado bebia para esquecer a vergonha que sentia por beber. Um geógrafo se dizia sábio mas não sabia nada da geografia do seu próprio país. Assim, cada personagem mostra o quanto as “pessoas grandes” se preocupam com coisas inúteis e não dão valor ao que merece. Isso tudo pode ser traduzido por uma frase da raposa, personagem que ensina ao menino de cabelos dourados o segredo do amor: “Só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos”.

Antoine de Saint-Exupéry via os adultos como pessoas incapazes de entender o sentido da vida, pois haviam deixado de ser a criança que um dia foram. Entendia que é difícil para os adultos (os quais considerava seres estranhos) compreender toda a sabedoria de uma criança.

Desta fábula foram feitos filmes, desenhos animados, além de adaptações. Muitos adultos até hoje se emocionam ao lembrar do livro. Talvez porque tenham se tornado “gente grande” sem esquecer de que um dia foram crianças.


--------------------------------------------------------------------------------

"As pessoas têm estrelas que não são as mesmas. Para uns, que viajam, as estrelas são guias. Para outros, elas não passam de pequenas luzes. Para outros, os sábios, são problemas. Para o meu negociante, eram ouro. Mas todas essas estrelas se calam. Tu porém, terás estrelas como ninguém... Quero dizer: quando olhares o céu de noite, (porque habitarei uma delas e estarei rindo), então será como se todas as estrelas te rissem! E tu terás estrelas que sabem sorrir! Assim, tu te sentirás contente por me teres conhecido. Tu serás sempre meu amigo (basta olhar para o céu e estarei lá). Terás vontade de rir comigo. E abrirá, às vezes, a janela à toa, por gosto... e teus amigos ficarão espantados de ouvir-te rir olhando o céu. Sim, as estrelas, elas sempre me fazem rir!"

"O Amor é a única coisa que cresce à medida que se reparte".

"O amor não consiste em olhar um para o outro, mas sim em olhar juntos para a mesma direção."

"Foi o tempo que dedicaste à tua rosa que fez tua rosa tão importante."

" Não exijas de ninguém senão aquilo que realmente pode dar."

"Em um mundo que se fez deserto, temos sede de encontrar companheiros."

" Nunca estamos contentes onde estamos."

" Será como a flor. Se tu amas uma flor que se acha numa estrela, é doce, de noite, olhar o céu. Todas as estrelas estão floridas."

"Para enxergar claro, bastar mudar a direção do olhar."

" Só se vê bem com o coração. O essencial é invisível para os olhos."

" Sois belas, mas vazias. Não se pode morrer por vós. Minha rosa, sem dúvida um transeunte qualquer pensaria que se parece convosco. Ela sozinha é porém mais importante que vós todas, pois foi a ela que eu reguei. Foi a ela que pus a redoma. Foi a ela que abriguei com o para-vento. Foi dela que eu matei as larvas. Foi a ela que eu escutei queixar-se ou gabar-se, ou mesmo calar-se algumas vezes. É a minha rosa."

" Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas"

" Aqueles que passam por nós, não vão sós, não nos deixam sós. Deixam um pouco de si, levam um pouco de nós."

" O amor verdadeiro não se consome, quanto mais dás, mais te ficas."

" Só os caminhos invisíveis do amor libertam os homens.

" O verdadeiro amor nunca se desgasta. Quanto mais se dá mais se tem."

"Se alguém ama uma flor da qual só existe um exemplar em milhões de estrelas, isso basta para que seja feliz quando a contempla."

"Se tu amas uma flor que se acha numa estrela, é doce, de noite, olhar o céu. Todas as estrelas estão floridas." (Antoine de Saint-Exupéry)

"ACASO

"Cada um que passa em nossa vida,
passa sozinho, pois cada pessoa é única
e nenhuma substitui outra.
Cada um que passa em nossa vida,
passa sozinho, mas não vai só
nem nos deixa sós.
Leva um pouco de nós mesmos,
deixa um pouco de si mesmo.
Há os que levam muito,
mas há os que não levam nada.
Essa é a maior responsabilidade de nossa vida,
e a prova de que duas almas
não se encontram ao acaso. "

(Antoine de Saint-Exupéry)



"A civilização é um bem invisível porque inscreve seu nome nas coisas",
E suas últimas palavras antes de embarcar na missão final e fatal: "Se voltar, o que será preciso dizer aos homens?"

Ele escreveria que "durante séculos e séculos a minha civilização contemplou Deus através dos homens. O homem era criado à imagem de Deus. Respeitava-se Deus no homem. Esse reflexo de Deus conferia uma dignidade inalienável ao homem", para concluir que "as relações do homem com Deus serviam de fundamento evidente aos deveres do de cada homem consigo próprio ou para com os outros".

"Havia, em algum lugar, um parque cheio de pinheiros e tílias, e uma velha casa que eu amava. Pouco importava que ela estivesse distante ou próxima, que não pudesse cercar de calor o meu corpo, nem me abrigar; reduzida apenas a um sonho, bastava que ela existisse para que a minha noite fosse cheia de sua presença. Eu não era mais um corpo de homem perdido no areal. Eu me orientava. Era o menino daquela casa, cheio da lembrança de seus perfumes, cheio da fragrância dos seus vestíbulos, cheio das vozes que a haviam animado."


(Antoine de Saint-Exupéry)

terça-feira, 26 de maio de 2009

Mata Atlântica perde área equivalente a dois terços da cidade de SP, diz pesquisa



Estudo divulgado nesta terça-feira (26) mostra que, entre 2005 e 2008, em dez estados brasileiros avaliados, foi desmatada uma área de Mata Atlântica equivalente a cerca de dois terços do tamanho da cidade de São Paulo. Segundo o estudo, 1029,38 km² de mata foram desmatados no período considerado. As informações foram levantadas pela Fundação SOS Mata Atlântica em conjunto com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).


Segundo o relatório Atlas dos Remanescentes Florestais da Mata Atlântica, a área original da mata no Brasil era de 1,315 milhão de km², distribuída em 17 estados (PI, CE, RN, PE, PB, SE, AL, BA, ES, MG, GO, RJ, MS, SP, PR, SC e RS). As informações mostram que esta área atualmente é de 102.012 km², o que significa que a extensão do bioma foi reduzida a 7,91% de seu território original. Essa porcentagem totaliza fragmentos de mata acima de 1km², e tem como base remanescentes florestais de 16 dos 17 estados em que há Mata Atlântica.


Se forem incluídos os fragmentos acima de 0,03km², o estudo mostra que a área de Mata Atlântica remanescente totaliza 11,41% da cobertura original.



O estudo divulgado pela Fundação SOS Mata Atlântica não analisou dados do desmatamento no Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, em Pernambuco, na Paraíba, em Sergipe e Alagoas.


Média mantida
Flávio Ponzoni, coordenador técnico do estudo, diz que a média de desmatamento total observada nos períodos 2000-2005 e 2005-2008 se manteve praticamente a mesma. Entre 2000 e 2005, 349,65 km² de mata foram desmatados por ano, em média. Já de 2005 a 2008, uma média 341,21 km² do bioma foram desmatados por ano.

Ponzoni, entretanto, afirma que, “nestes três anos, confrontando com os cinco anteriores, foi desmatado quase o dobro nos dez estados analisados. O que detectaremos nos próximos dois anos se a tendência se mantiver?”

Minas Gerais no topo
O estudo mostra que os estados de Minas Gerais, Santa Catarina, Bahia e Paraná foram, nesta ordem, os que registraram maiores índices de desmatamento no período analisado. Esses estados perderam áreas de 327,28 km², 259,53 km², 241,48 km² e 99,78 km², respectivamente, entre 2005 e 2008.




Minas Gerais, de acordo com o relatório, possuía, originalmente, 272,3 mil km² de Mata Atlântica, que recobria 46% de seu território. Atualmente, restam apenas 9,68% da cobertura original. Algumas das razões para esse resultado são, segundo Mário Mantovani, diretor de Mobilização da Fundação, os desmatamentos em áreas de limite entre a Mata Atlântica e o Cerrado, “principalmente em Minas Gerais, por conta da extração de carvão para a siderurgia”.


O município de Jequitinhonha (MG) é o primeiro da lista dos que mais perderam Mata Atlântica no período. Foram 24,59 km² de desmatamento. Em seguida vem Itaiópolis (SC), com 18,06 km², e Bom Jesus da Lapa (BA), com 17,97 km². Além de Jequitinhonha, Minas Gerais tem outros três municípios entre os dez primeiros no ranking de desmatamento – Águas Vermelhas (6º), Teófilo Otoni (7º) e Pedra Azul (9º).

Conexão entre fragmentos
Um dos maiores riscos para o remanescente de mata é a falta de conexão entre um fragmento e outro. Montovani afirma que “a falta de conexão causa sérios problemas, chamados de ‘efeitos de borda’, ou seja, agressão por fogo, veneno, plantas invasoras, dentre outros

Divirta se sendo mundo ,,,

Esta é uma tradução livre da carta atribuída a um menino chama¬do Andrew, de oito anos, e publicada no jornal “A Ponte do Arco Íris”, de West Sedona(EUA):

“Boa noite, Deus”.

“Espero que você esteja se divertindo, depois de ter resolvido transformar-se em Mundo, pois minha mãe diz que tudo que vemos é parte de você. Eu gosto muito de suas brincadeiras, como a ter feito chover na semana passada, para que as plantas e as árvores pudessem continuar existindo”.

“Deus, estou feliz por ter que sobreviver em cima de você. Você tem umas ideias incríveis, como, por exemplo, fazer cair as folhas no final do verão: é genial, e faz com que a gente entenda que as coisas mudam”.

“Eu gosto de senti-lo em todas as partes da Terra. Eu gosto de caminhar por seus braços e pernas. Por isso, espero que esteja se divertindo, transformado em mundo”.

domingo, 24 de maio de 2009

o menino do dedo verde

Tistu é um menino muito sortudo. Vive na cidade chamada Mirapólvora numa grande casa, a Casa-que-Brilha, com o Sr. Papai, Dona Mamãe e o seu querido pônei Ginástico. Eles são ricos pois o Sr Papai tem uma fábrica de canhões. Para grande decepção de todos, Tistu dorme nas aulas. Sr Papai resolve fazer com que Tistu aprenda as coisas vendo-as e vivenciando-as. As aulas serão com o jardineiro Bigode e com o gerente da fábrica de canhões, o Sr Trovões.

Na primeira aula, o jardineiro bigode descobre um dom fantástico em Tistu: o menino tem o dedo verde! Isto significa que, onde ele colocar o dedo, nascerão flores! Porém as pessoas grandes não iriam entender este dom. Seria melhor mantê-lo em segredo. Bigode se transforma no conselheiro de Tistu

Com o Sr Trovões Tistu conhece um pouco do lado triste do mundo: a miséria, a prisão, o hospital. Ele resolve alegrar estes ambientes colocando seu dedo lá, mas no anonimato. Para o espanto da população, o presídio ficou com tantas flores que as portas não conseguiam mais fechar. Mas os presos não queriam fugir, pois estavam maravilhados! As flores da favela absorveram o lamaçal e enfeitaram as casas, transformando a favela em atração turística. A menina do hospital, que antes contava os buraquinhos do teto para passar o tempo agora conta botões de rosas, que nascem em volta do seu leito. A cidade, e a vida das pessoas da cidade, mudaram completamente.

Tistu então conhece a fábrica do Sr Papai. Ele fica inconformado com o mal que os canhões e as guerras trazem. Secretamente, coloca o dedo nos canhões que estavam sendo enviados para uma guerra. Resultado: a guerra fracassa, pois ao invés de bombas, os canhões lançaram flores. A fábrica é arruinada.
Vendo o desespero do sr Papai, Tistu resolve revelar que foi ele quem colocou as flores nos canhões e prova isso fazendo nascer uma flor no quadro de seu avô, na parede. Sr Papai resolve então transformar a fábrica de canhões em fábrica de flores. A cidade passa a se chamar Miraflores.

Um dia Tistu recebe a notícia de que o jardineiro Bigode tinha ido viajar, que estava dormindo. Confuso com as informações, Tistu pergunta para seu pônei o que aconteceu com Bigode. Ele revela: Bigode morreu. E este é o único mal em que as flores não podem fazer nada.

- Se Bigode morreu, ele está no céu. Então, vou construir uma escada com minhas flores para ele descer! ? conclui Tistu. Após construir a escala, era impossível ver onde ela estava terminando. Sumia no céu. Tistu esperou mas bigode não desce. Então ele resolve ir busca-lo. Seu pônei tenta impedi-lo sem sucesso. Tistu sobe a escada, vê sua casa diminuindo, vê as nuvens, perde seus chinelinhos e escuta a voz do Bigode: - Ah, você está aqui!
Naquela manhã os moradores da Casa-que-Brilha saíram a procura de Tistu e encontraram uma relva diferente, roída pelo pônei, com botões de rosas dourados, formado a frase: Tistu era um Anjo.

Tistou Les Pouces Verts, foi escrito em 1957 pelo escritor francês Maurice Druon.